Como a família deve agir com um idoso que possui Alzheimer

3 minutos para ler

O Alzheimer é uma doença neuro-degenerativa que causa perda progressiva da memória, prejudica o comportamento e o pensamento da pessoa acometida pela doença. O Alzheimer é mais frequente em idosos após os 65 anos e é comum que se lembrem de fatos muito antigos, mas esquecem de momentos recentes.

Ainda não há cura para o Alzheimer, mas existem medicamentos que retardam sua progressão. Os sintomas surgem aos poucos e ficam mais evidentes com o passar do tempo.

Com a evolução da doença, o Alzheimer causa grande impacto no cotidiano do idoso e afeta sua capacidade de aprendizado, atenção, compreensão e linguagem. A pessoa fica cada vez mais dependente da ajuda de terceiros, voltam a ter o comportamento de criança e passam a ter dificuldade até para realizar atividades simples como tomar banho e se alimentar.

TRÊS ESTÁGIOS DO ALZHEIMER

– Inicial: o papel da família no estágio inicial é de lidar com o impacto e aceitação do diagnóstico, decidir sobre contar ao paciente ou não sobre o diagnóstico, procurar saber mais sobre a doença e os sintomas e decidir sobre os tratamentos;

– Moderada: é preciso garantir a segurança física, emocional e financeira do paciente, considerar a necessidade de um cuidador em tempo integral e estabelecer novas formas de relacionamento;

– Avançada: oferecer cuidados intensivos e constantes e buscar alternativas de comunicação, interação e manifestação de afeto pelo paciente.

 CUIDADOS NECESSÁRIOS

No final da vida, é um momento muito delicado para o idoso, e quando o Alzheimer surge fica muito difícil de lidar. A família e amigos precisam ter muita paciência e entender que é uma doença que não tem cura e que o idoso não sabe por que age de tal forma.

– Fazer passeios para socialização;

– Realizar atividades como fisioterapia, caminhada e encontros familiares;

– Dar apenas 2 opções de escolhas, por exemplo: ter que escolher entre duas roupas, ou duas sobremesas. É importante facilitar a compreensão e a resposta;

– Manter o ambiente sempre com relógio e janelas abertas para que o paciente tenha noção do dia e noite;

– É importante que as pessoas com Alzheimer sejam estimuladas a participar das tarefas rotineiras e familiares, para que sintam-se incluídas socialmente e com autonomia, mesmo que pequena;

– Criar uma rotina para o paciente;

– Dar amor e carinho é essencial nesse momento;

– Quando o estágio já é avançado, sinta-se livre para contratar um cuidador que irá auxiliar o idoso nas atividades que ele não consegue fazer mais. No começo o paciente pode ser relutante, mas irá se adaptar com o tempo.

Para saber mais sobre o assunto, acesse: https://drauziovarella.uol.com.br/reportagens/como-familiares-devem-lidar-com-o-paciente-de-alzheimer/

Clique aqui e saiba mais!

Posts relacionados

Deixe um comentário