Os malefícios do cigarro

5 minutos para ler

No Brasil, cerca de 157 mil pessoas morrem de forma precoce devido a doenças causadas pelo uso do cigarro. Estudos mostram que fumantes tem menor resistência física, falta folego, baixo desempenho em esportes, ficam doentes com mais frequência do que os não fumantes possuem cabelos opacos, dentes amarelados e envelhecem mais rápido.

Comparados aos não fumantes, quem fuma cigarro apresentam um risco maior à ter 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão, 5 vezes maior de sofrer infarto, 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar e 2 vezes maior de sofrer derrame cerebral.

COMO O CIGARRO AGE QUIMICAMENTE NO ORGANISMO?

De acordo com uma publicação no site do INCA, a fumaça do cigarro é inalada para os pulmões, distribuindo-se para o sistema circulatório fazendo com que a nicotina chegue de sete a 19 segundos ao cérebro. Além disso, o fluxo sanguíneo capilar pulmonar é rápido, e todo o volume de sangue do corpo percorre os pulmões em um minuto. Dessa forma, as substâncias inaladas pelos pulmões espalham-se pelo organismo com uma velocidade quase igual à de substâncias introduzidas por uma injeção intravenosa. A fumaça do charuto e cachimbo é absorvida pela mucosa oral. Dessa forma, não há a necessidade de tragá-la, pois da cavidade oral a nicotina atinge rapidamente o cérebro.

A nicotina, que é encontrada em todos os derivados do tabaco (cigarro, charuto, cachimbo, cigarro de palha, narguilé, entre outros) é a droga que causa dependência. Essa substância é psicoativa, isto é, produz a sensação de prazer, o que pode induzir ao abuso e à dependência. A dependência à nicotina é incluída na Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial de Saúde, completa o site.

QUAIS AS DOENÇAS CAUSADAS PELO USO DO TABACO?

– Diversos tipos de câncer (pulmão, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia);

– Doenças do aparelho respiratório (enfisema pulmonar, bronquite crônica, asma, infecções respiratórias);

– Doenças cardiovasculares (angina, infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial, aneurismas, acidente vascular cerebral, tromboses);

– Úlcera do aparelho digestivo;

– Osteoporose;

– Catarata;

– Impotência sexual no homem;

– Infertilidade na mulher, menopausa precoce e complicações na gravidez.

TABAGISMO

O tabagismo é uma doença causada pela dependência de nicotina, uma substancia presente no cigarro. Segundo o Manual Estatístico e Diagnóstico (DSM-IV) da Associação de Psiquiatria Americana (APA) os critérios diagnósticos para Dependência Química se aplicam também ao tabagismo. São eles:

– Esforços para manter o uso diário da substância (nicotina);

– Tolerância (uma necessidade de quantidade progressivamente maiores da substância para adquirir o efeito desejado e acentuada redução do efeito com o uso continuado da mesma quantidade de substância);

– Abstinência (irritabilidade, inquietude, depressão, agitação, insônia, ansiedade, fome, falta de concentração, alteração do humor, queda da frequência cardíaca, aumento do apetite e/ou do peso);

– A substância é frequentemente consumida em maiores quantidades ou por um período mais longo do que o pretendido;

– Existe um desejo persistente ou esforços malsucedidos no sentido de reduzir ou controlar o uso da substância;

– Sintomas de abstinência produzem mal-estar clinicamente significativo, fazendo com que importantes atividades sociais, ocupacionais ou recreativas são abandonadas ou reduzidas em virtude do uso da substância e o individuo evite contato social ou situações nas quais sabidamente não poderá fumar (viagens longas ou ambientes livres de fumo);

– O uso da substância continua, apesar da consciência de ter um problema físico (doenças cardíacas, pulmonares, câncer, etc.) ou psicológico persistente ou recorrente que tende a ser causado ou exacerbado pela substância.

TRATAMENTO DE TABAGISMO

A nicotina é uma droga que atua no sistema nervoso central da mesma forma que a cocaína, heroína e álcool, por exemplo, porém, a nicotina chega mais rápido no cérebro.

Os primeiros dias sem fumar cigarro serão difíceis e dolorosos, mas com o passar dos dias, os sintomas de abstinência vão diminuindo.

Para parar de fumar, o primeiro passo é admitir que esse vicie está te matando aos poucos. Depois, escolha uma forma de parar: Método de Parada Imediata ou Parada Gradual.

Procure um médico para auxilia-lo no tratamento adequado para sua saúde.

Para de fumar hoje e viva mais tempo!

Para mais detalhes, assista ao vídeo do Dr. Dráuzio Varella: Males do cigarro na juventude | Dráuzio Comenta #83

 

LEIA TAMBÉM: 5 dicas para evitar doenças respiratórias no inverno

 

Clique aqui e saiba mais!

 

Referências:

https://www.inca.gov.br/en/node/1472

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/tabagismo

Posts relacionados

Deixe um comentário