A importância do pediatra na vida das crianças

6 minutos para ler

Muitas crianças só vão à consulta médica quando já estão com alguma doença, devido ao desleixo ou falta de informação de seus pais. Com isso, a prevenção que deveria ocorrer é negligenciada e a criança fica exposta a doenças que poderiam ser evitadas com vacinações e orientações para hábitos de vida saudáveis.

Para a prevenção de doenças, os pais devem se preocupar em levar seus filhos regularmente às consultas com o pediatra para avaliar e acompanhar o seu crescimento e desenvolvimento. As crianças que não vão ao pediatra com frequência até os três anos de idade correm duas vezes mais riscos de serem hospitalizadas.

QUAL É A FUNÇÃO DO PEDIATRA?

O pediatra é fundamental no suporte ao aleitamento materno, incentivo na participação em campanhas de vacinação, prevenção de acidentes e obesidade.

Atualmente, há em média, 37 mil médicos pediatras que buscam cuidar e orientar os pacientes sobre como prevenir doenças e sobre as praticas de uma vida saudável, como alimentação, vacinas, enfrentamento de dificuldades sociais e etc.

É importante que os pais levem os filhos ao pediatra, tire todas as duvidas possíveis e seguir as orientações para manter a boa saúde dos pequenos e prevenir possíveis complicações.

QUAL É A FREQUÊNCIA QUE AS CRIANÇAS DEVEM IR AO PEDIATRA?

5, 15 e 30 dias de vida: 3 consultas;

2 aos 6 meses de vida: 1 vez ao mês;

Após os 7 meses de vida: 1 vez a cada dois meses;

Após os 2 anos de idade: 1 vez a cada três meses;

Após os 6 anos de idade: 1 vez a cada seis meses;

De 7 aos 18 anos: 1 vez por ano.

PREVENÇÃO

Quando buscamos atendimento médico somente quando já estamos doenças é um erro muito comum e muito perigoso para a saúde da criança, pois pode ocorrer serias sequelas que poderiam ter sido prevenidas.

Todas as crianças devem ser acompanhadas a cada etapa de seu desenvolvimento por um pediatra. O diagnostico precoce de doenças na infância pode possibilitar intervenções bem sucedidas.

VACINAÇÃO É NECESSÁRIA!

A vacina é o meio mais eficaz no fortalecimento do sistema imunológico contra agentes infecciosos e bacterianos. Ao tomar as vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde, seu corpo fica resistente as doenças que o atingirem.

A vacinação infantil é de grande importância para evitar o contágio de diversas doenças graves. O Programa Nacional de Imunizações recomenda que as primeiras vacinas devam ser dadas ao bebê ainda na maternidade, são elas: a BCG, vacina contra a tuberculose, e a vacina contra hepatite B.

DOENÇAS PREVENIDAS POR VACINAS:

– Difteria

– Tétano

– Coqueluche

– Haemophillus Influenzae tipo B

– Hepatite A

– Hepatite B

– Sarampo

– Caxumba

– Rubéola

– Gripe

– Pneumonia

– Varicela (Catapora)

– Polio

– HPV

– Rotavírus

QUANDO AS CRIANÇAS DEVEM TOMAR A VACINAÇÃO PARA PREVENIR DOENÇAS?

Para evitar a proliferação de doenças, o Ministério da Saúde conta com um Calendário de Vacinas para os pais realizarem a imunização das crianças nos períodos indicados no Cartão de Vacinação.

– Ao Nascer

BCG (Bacilo Calmette-Guerin): Previne as formas graves de tuberculose, principalmente miliar e meníngea (dose única).

Hepatite B – dose única.

– 2 meses

Pentavalente: Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB (1ª dose);

Vacina Inativada Poliomielite (VIP): Previne poliomielite ou paralisia infantil (1ª dose);

Pneumocócica 10 Valente: Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo (1ª dose);

Rotavírus: previne diarreia por rotavírus (1ª dose);

– 3 meses

Meningocócica C: Previne a doença meningocócica C (1ª dose).

– 4 meses

Pentavalente: Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por Haemóphilus influenzae tipo B (2ª dose);

Vacina Inativada Poliomielite (VIP): Previne a poliomielite ou paralisia infantil (2ª dose);

Pneumocócica 10 Valente: Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo (2ª dose);

Rotavírus: Previne diarreia por rotavírus (2ª dose).

– 5 meses

Meningocócica C: Previne doença meningocócica C (2ª dose);

– 6 meses

Pentavalente: Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB (3ª dose);

Vacina Inativada Poliomielite (VIP): Previne poliomielite ou paralisia infantil (3ª dose).

– 9 meses

Febre Amarela: previne a febre amarela (dose única).

– 12 meses

Tríplice viral: Previne sarampo, caxumba e rubéola (1ª dose);

Pneumocócica 10 Valente: Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo (Reforço);

Meningocócica C: Previne doença meningocócica C (Reforço).

– 15 meses

DTP (Difteria, tétano e coqueluche): 1º reforço;

Vacina Oral Poliomielite (VOP): Previne poliomielite ou paralisia infantil (1º reforço);

Hepatite A: dose única;

Tetra viral ou tríplice viral + varicela: Previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora (uma dose).

– 4 anos

DTP (Difteria, tétano e coqueluche): 2º reforço;

Vacina Oral Poliomielite (VOP): Previne poliomielite ou paralisia infantil (2º reforço);

Varicela atenuada: Previne varicela/catapora.

– 9 a 14 anos

HPV: Previne o papiloma, vírus humano que causa cânceres e verrugas genitais (2 doses com seis meses de intervalo).

– 11 a 14 anos

HPV: Previne o papiloma, vírus humano que causa cânceres e verrugas genitais (2 doses com seis meses de intervalo);

Meningocócica C: Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do sorogrupo C (Dose única ou reforço).

– 10 a 19 anos

Hepatite B: 3 doses, de acordo com a situação vacinal;

Febre Amarela: 1 dose se nunca tiver sido vacinado;

Dupla Adulto: Previne difteria e tétano (Reforço a cada 10 anos);

Tríplice viral: Previne sarampo, caxumba e rubéola (2 doses, a depender da situação vacinal anterior);

Pneumocócica 23 Valente: Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo (1 dose a depender da situação vacinal. A vacina Pneumocócica 23V está indicada para grupos-alvo específicos);

Dupla Adulto: Previne difteria e tétano (Reforço a cada 10 anos).

Não negligencie a saude do seu filho! Leve-o ao pediatra regularmente para manter a boa saúde e bem estar.

LEIA TAMBÉM: O que fazer em caso de piolhos em crianças?

 

Clique aqui e saiba mais!

 

 

Referências: https://copass-saude.com.br/posts/a-importancia-da-visita-ao-pediatra

https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/importancia-do-pediatra/

Posts relacionados

Deixe um comentário